Quem mandou não ouvir Inês?

Demorei para começar minha caminhada hoje porque resolvi despachar mais algumas coisas e com isso tive de esperar os Correios abrirem às 8:30. Foram quase 3 kilos, a mochila ficou levinha e agora torço para não precisar de nada que tenha mandado para Sarria.
A saída de León foi sofrível a começar pela pegadinha peregrina. Explico. Estou eu lá seguindo contente as setinhas e conchinhas, passo pela Catedral e pluft, sumiu toda e qualquer sinalização. Parei uma mulher na rua que me explicou que a saída para continuar no Caminho era do outro lado, próximo à Igreja de San Marcos. Não vou mentir que durante o percurso parei para confirmar com outras pessoas já que a sinalização não estava lá essas coisas. Imagino que muitos peregrinos tenham tido dificuldades porque era um tal de gente olhando mapa, olhando de um lado para o outro indo e voltando que pelo amor de Deus. Dica: a saída de León não passa pela Catedral da cidade.
Já na saída da cidade reencontro Zanza, Zé Carlos e Enedir. Não pensei que fosse encontrá-lo porque quando eles saíram eu ainda estava arrumando minha mochila, mas me disseram que também demoraram para sair da cidade porque despacharam a mochila de Zé e Enedir.
Seguimos juntos e paramos para um lanche em Virgen Del Camino quando fomos assaltados. Comprei um sanduiche de queijo para variar pão duro e seco acompanhado da Coca-cola 220ml mais cara do mundo 3€, isso mesmo! Me senti lesada, não vou mentir. Nunca mais aceito essa garrafinha, se for para pagar 3€ que seja na lata pelo menos.
Agora veja como são as coisas, na mesma cidade encontramos um senhor super simpático e amigo dos peregrinos. Ele deixa uma mesa com água, uns petiscos e carimbo para a credencial, achei a atitude bacana e me fez reacreditar nas pessoas do caminho depois do velhinho ladrão (desculpem-me o tom dramático).
Fiquei muito chateada com o dia de hoje. Achei horrível, o tempo todo ao lado da rodovia, não dava para conversar nem ouvir o som dos pássaros. Por falar nisso, num raro momento de um intervalo mais prolongado entre carros, ouvimos o cuco novamente, uma e única vez porque depois o barulho não deu trégua. E agora vocês entenderão o título do post… Inês havia dito que, se fosse para pular algum trecho, que pulasse esse depois de León até Hospital de Órbigo, não dei ouvidos e deu no que deu. Portanto, caro amigo, vai por mim, se tiver de pular alguma coisa, pule sem dor na consciência esse trecho de hoje. Agora, imagine você a minha decepção depois dos dias de descanso forçado ter de fazer esse trecho desgranhento logo no recomeço da viagem. Para completar, tive o prazer de, em 2 horas, presenciar uma variação de temperatura louca de 9ºC e 26ºC… Enfim, foi bacana o reencontro com o pessoal e pronto (o que já foi grande coisa).
A minha idéia inicial era ir até Hospital de Órbigo, mas, como o pé não dá trégua, parei com o pessoal em San Martin Del Camino. Ficamos no Albergue Santa Ana (4€). O menu do peregrino no albergue custou 9€ e devo dizer que achei bem ruinzinho. A carne com batata frita estava bem estranha, a sopa aguada e sem gosto, de sobremesa teve fruta (ok) e hoje resolvi tomar vinho (estava bom) depois que Zanza me contou que não tem problema beber tomando antibiótico já que na verdade não é recomendável porque sobrecarrega o fígado, mas não corta o efeito. Como não bebi muito, me permiti uma tacinha inofensiva.

Anúncios

1 Comentário

  1. Clara said,

    18/09/2010 às 8:29

    Definitivamente, meu maior problema na caminhada seria comida…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: